O presidente da ABO-MS, Carlos Magno de Oliveira, participou nesta quinta-feira, 3, do 13º Congresso Científico Internacional / BRASIL – ITÁLIA | OMNIA 2018, realizado no Hospital São Julião.

A participação da ABO-MS foi no painel que abordou sobre a Odontologia Hospitalar. A entidade compôs a Mesa Redonda: “Odontologia Hospitalar: A formação profissional, a legislação e os desafios deste novo campo de trabalho”, que contou com a participação de representantes do CRO-MS e das faculdades de Odontologia da UFMS, Uniderp e Unigran.

O presidente da ABO-MS contextualizou sobre a situação da Odontologia Hospitalar no Brasil e alertou que a odontologia precisa de mais representatividade política. “Podemos considerar que existe um viés político para que tal matéria seja implantada, por isso precisamos de representação da Odontologia na Câmara dos Vereadores, Assembleia Legislativa e Congresso Nacional, que infelizmente hoje é quase nula”, alerta, Carlos Magno.

A partir dos trabalhos será elaborado um documento, que será enviado às autoridades responsáveis pela aprovação da lei e aos administradores de hospitais, apontando as inúmeras vantagens da atuação do cirurgião-dentista no âmbito hospitalar.

Ainda foram realizadas duas palestras sobre “as atribuições do cirurgião-dentista em ambiente hospitalar”, ministrada pela Dra. Carolina Mendes Henrique, e sobre “o tratamento odontológico durante a internação”, ministrada pela Dra Bruna Córdoba.

Em Mato Grosso do Sul existe a Lei 5.163, de autoria do deputado Lidio Lopes, que dispõe sobre a obrigatoriedade da presença de profissionais de Odontologia na equipe das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em todos os hospitais públicos e privados do Estado de Mato Grosso do Sul. A nova norma foi publicada no Diário Oficial do dia 21 de março. A lei entra em vigor em 120 dias após a publicação.